São Paulo lidera orçamento público

Orçamento só perde para o Governo federal

30/08/2017 09h58 - Por: Folha da Região

São Paulo lidera orçamento público

O Estado de São Paulo possui o segundo maior orçamento público do País, atrás somente dos números do governo federal. Essa condição privilegiada é realçada pela agência Investe SP no acervo de informações fornecidas a investidores interessados em investimentos nas diferentes regiões do Estado.

O Plano Plurianual (PPA) do governo estadual prevê para o período de 2016-2019 a execução de aproximadamente R$ 903 bilhões em recursos orçamentários. São estes os números: Transportes Metropolitanos: R$ 42 bilhões; Saneamento e Recursos Hídricos: R$ 7,3 bilhões; Habitação: R$ 6,2 bilhões; Educação: R$ 107 bilhões; Segurança: R$ 86 bilhões; Planejamento e Gestão: R$ 9 bilhões; Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia: R$ 59 bilhões; Saúde: R$ 85 bilhões; Outros: R$ 502 bilhões.

Maior centro de consumo
Com um território do tamanho do Reino Unido e uma população maior que a da Austrália (24 milhões de habitantes) e do Canadá (36 milhões de habitantes), o Estado de São Paulo abriga o maior mercado consumidor do Brasil graças ao nível socioeconômico da população, que possui renda per capita quase 50% maior do que a média nacional, possibilitando o acesso a sofisticados bens de consumo. Segundo o Índice de Potencial de Consumo (IPC Marketing), a população do Estado de São Paulo concentrou, em 2016, R$ 1 trilhão em potencial de consumo, o que representa mais de 27% do potencial de consumo dos brasileiros.

Colabora ainda para o potencial do mercado consumidor paulista o perfil da população do Estado: maior proporção de mulheres no mercado de trabalho; maior número de postos de trabalho que exigem alta qualificação, criando um mercado consumidor exigente; aumento da proporção de idosos na população total, incentivando a criação de serviços especializados para esse público.

Trabalhadores qualificados
Segundo o IBGE, 38% da população ocupada do Estado de São Paulo está concentrada no setor de serviços. O comércio e a indústria respondem por 19% e 17%, respectivamente, seguidos pelas atividades de construção e agrícola. O equivalente a 45% da população ocupada do Estado está concentrada no Interior e Litoral, segundo o Ministério do Trabalho.

Segundo a Investe SP, o mercado de trabalho paulista caracteriza-se pela qualificação de seu contingente de mão de obra. O equivalente a 62% da população ocupada do Estado de São Paulo possui pelo menos 11 anos de estudo, em contraponto aos 50% da média nacional. A proporção de pessoas ocupadas com 15 ou mais anos de instrução é 38,7% maior no Estado de São Paulo do que no conjunto do País.

Educação diversificada
São Paulo dispõe de 66 Faculdades de Tecnologia (Fatecs), distribuídas em 60 cidades, que atendem 77 mil alunos, além de 220 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) em 162 municípios, que oferecem cursos de ensino médio e técnico para os setores da indústria, agropecuária e de serviços, atendendo mais de 213 mil estudantes em 138 habilitações. Há ainda as redes do Senai, do Senac e do Senat. Ao todo, o Estado concentra 1.281 estabelecimentos de educação profissional.

Universidades
Com 25,2% do total de instituições de educação superior nacionais, São Paulo reúne três universidades estaduais de ponta, que figuram entre as mais prestigiosas da América Latina, além de uma vigorosa rede privada, e universidades federais e municipais localizadas em seu território. Ao todo, são oferecidas 1,2 milhão de vagas anuais. A Unesp está presente em praticamente todo o território paulista, com unidades em 24 cidades.

Maior rede de fornecedores
Por ser o maior polo econômico e industrial do Hemisfério Sul, respondendo por 30,9% da receita nacional do comércio e 42,1% do total de prestação de serviços, São Paulo se destaca por concentrar a maior cadeia de fornecedores do país. No setor aeroespacial, por exemplo, possui mais de 94% do valor de transformação industrial do setor, fornecendo os principais produtos e serviços necessários para a fabricação de aeronaves.

Destaque também para a ampla rede de fornecedores nos segmentos de petróleo e gás, automobilístico, farmacêutico, entre outros. A infraestrutura do Estado e a força de sua economia favorecem o mercado de suprimentos, o que faz de São Paulo o Estado número 1 no fornecimento de matérias-primas, equipamentos, produtos e serviços para as empresas instaladas em toda a América Latina, segundo a Investe SP.

Posição estratégica no mapa
O Estado de São Paulo é um dos mais importantes epicentros de desenvolvimento do Hemisfério Sul. Sua área de influência ultrapassa seus limites territoriais, estendendo-se pelos estados e os países da América do Sul. A Região Metropolitana de São Paulo, quarto maior aglomerado urbano do mundo, é o centro das atividades industrial, de serviços e comércio do País. Somada ao peso da atividade econômica do Interior Paulista, forma um conjunto de fatores que fazem de São Paulo um ambiente “extremamente propício para todo tipo de investimentos”, diz ainda a Investe SP.

Wilson Marini é editor-executivo da APJ (Associação Paulista de Jornais)

Comentários

Últimas notícias

 

Página 1 de 9